Destra Fiel

Depressão não é Doença!

Pencil

Estudos - Depressão não é doença - MundoCristão

Como um dos colaboradores do Curso de Autoconfrontação da B.C.F. -Biblical Counseling Foundation, não pude conter a surpresa ao ler o artigo “Depressão” do querido pastor José Infante Jr., na edição de novembro nº 144 do Jornal de Apoio, onde o amado irmão afirma que a depressão é uma doença.

Este é um conceito que tem se alastrado no meio evangélico e que compreende a depressão como patologia, ao invés de entendê-la como algo relacionado ao comportamento, ou seja, não como causa e sim conseqüência de algo que está acontecendo no íntimo do indivíduo, seja este de causa biológica ou emocional.[i]

Nas Escrituras, os sentimentos associados à depressão são descritos como um semblante descaído (Gênesis 4:6), um espírito abatido (Provérbios 17:22, 18:14), tristeza (Provérbios 15:13), desespero (Salmo 42:11), um coração quebrantado (Salmo 147:3); fardos pesados de iniqüidade (Salmo 38:4), luto (Salmo 38:6), peso que faz encurvar (Salmo 38:6), tristeza a ponto de verter lágrimas (Salmo 119:28) ou desfalecimento (fraqueza ou desmaio) (Efésios 3:13; Hebreus 12:3).

No Salmo 38, Davi descreveu vários sintomas e sentimentos relacionados com "estar deprimido": Ninguém está completamente imune aos sentimentos depressivos como vemos em I Coríntios 10:12-13. Muitos personagens bíblicos também experimentaram aquilo que hoje seria classificado como "depressão" mas o fator que desencadeou a depressão em suas vidas foi uma ênfase no "eu", que os conduziu ao pecado e este, por sua vez, é que os conduziu à "depressão".[ii]

É evidente que, em certos casos, disfunções orgânicas podem desencadear sintomas depressivos, porém muitos distúrbios (temporários ou crônicos) comumente definidos como depressão, são de fato uma conseqüência de hábitos não-bíblicos e ou reações pecaminosas para com circunstancias ou pessoas.

O cuidado físico adequado é essencial para o cumprimento do plano de Deus, conforme I Coríntios 6:20 e Filipenses 1: 20. É importante submeter-se a um diagnóstico médico sempre que houver a suspeita de algum problema físico e dar prosseguimento ao tratamento adequado, no entanto, é importante lembrar que o crente ainda assim será responsável por responder de forma bíblica diante de qualquer dificuldade independente de seus sentimentos, segundo o exemplo de Jeremias em Lamentações 3:31-32, e do apóstolo Paulo em II Coríntios 12: 7-10.

Se em meio às dificuldades físicas o crente agir com responsabilidade (o que inclui buscar assistência médica apropriada) e praticar o amor bíblico em todos os seus relacionamentos, o crente agradará a Deus, provará do Seu cuidado amoroso e será fortalecido. Se tudo isso o crente observar com cuidado, como poderia a depressão estar presente em sua vida? (Gen. 4:7; Salmos 34:19; 37:23-24; 119:143; 147:6; II Cor. 12: 9-10; Fil. 2: 3-8; 4:13 e 19; Tiago 1:25).

O artigo “Depressão” sugere que “... a doença deve ser tratada, na maioria das vezes, com medicamentos antidepressivos e psicoterapia...”. Serão esses métodos bíblicos? É correto sugerir que um crente procure um psicólogo para tratar do problema de sua alma?

Estas são questões muito presentes no seio das igrejas locais da atualidade, não só no Brasil, mas em todo o mundo. O problema é que poucas vezes se tem dado uma resposta bíblica firme e coerente diante da avalanche de conceitos humanos no exercício do aconselhamento cristão. Uma advertência de grande contribuição para um posicionamento bíblico efetivo é o livro Introdução ao Aconselhamento Bíblico de John F. MacArthur Jr. e Wayne A. Mack, o qual transcrevo um trecho do primeiro capítulo:

“Em anos recentes, entretanto, surgiu dentro da Igreja um forte e bastante influente movimento que procura substituir o aconselhamento bíblico no corpo da Igreja pela 'psicologia cristã' - técnicas e sabedoria adquiridas a partir de terapias seculares e aplicadas por profissionais que recebem por seus serviços. Os que têm liderado esse movimento, via de regra, soam levemente bíblicos. Isto é, eles citam as Escrituras e misturam idéias teológicas aos ensinamentos de Freud, Rogers, Jung, ou qualquer escola de psicologia secular que, porventura, sigam. O movimento em si, entretanto, não está conduzindo a Igreja a uma direção bíblica. Vem, sim, condicionando os cristãos a pensar no aconselhamento como algo que deva ser reservado a especialistas bem treinados. Tem aberto a porta para uma variedade de teorias e terapias extrabíblicas. Na verdade, tem deixado muitos com o entendimento de que a Palavra de Deus é incompleta, insuficiente, obsoleta e incapaz de oferecer ajuda aos mais profundos problemas emocionais e espirituais das pessoas. Esse movimento tem impelido milhões de cristãos a buscar ajuda espiritual longe de seus pastores e irmãos na fé, introduzindo-os nas clínicas psicológicas. Ele tem dado a muitos a impressão de que se adapta a métodos seculares, o plano de doze passos por exemplo, pode ser mais útil que os meios espirituais que visam a afastar as pessoas de seus pecados. Resumindo, ele tem diminuído a confiança da Igreja nas Escrituras, na oração, na comunhão, e pregação como meios por intermédio dos quais o Espírito de Deus opera para transformar vidas.”[iii]

É exatamente nesses termos que a sutileza da idéia que depressão é uma doença e que a psicoterapia não tem nada de mais e é uma ajuda importante no combate à esse mal torna-se uma mancha na suficiência da Palavra no processo de santificação do crente e um golpe fatal na dependência de Deus e obediência necessária que encontramos no exemplo das Escrituras:

Colossenses 2: 6-9
“Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, Arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças. Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade”

Texto por Prof. Humberto Alcantara De Oliveira
Fonte ABCB

Continue lendo >>

Líder Liderando Líderes

Pencil


Havia um levita, mais precisamente de Chipre, de nome José, a quem os apóstolos batizaram-no como Barnabé, que significa “encorajador”, que vendeu um campo que possuía e trouxe dinheiro e depositou aos pés dos apóstolos, com fidelidade, diferente do caso de Ananias e Safira, que não foram fiéis.

O “Encorajador”

O encorajamento é fundamental para influenciar. O termo que a Bíblia refere-se é de, como líderes, devemos usar os métodos da sabedoria para ganharmos os nossos liderados. Não podemos ser líderes “mão-de-ferro”, isto é, sempre cobrando, onde na realidade não queremos ser cobrados, todavia, devemos ser amigos, estando sempre prontos para passarmos os nossos conhecimentos. Assim se cumpre o papel de bons líderes.

Barnabé foi o primeiro líder de Paulo após sua conversão, sendo seu discipulador, pois os apóstolos não acreditavam em Paulo, Barnabé foi “fiador” de Paulo. Dizendo como ele havia pregado em Damasco com muita coragem, falando em Nome de Jesus e assim, Paulo ficou com Barnabé em Jerusalém, pregando em nome de Jesus (Atos 9:4-18).

Qual foi a principal virtude de Barnabé?

Foi fazer com que todos os apóstolos acreditassem em Paulo, quando Jesus falou a Ananias numa visão, dizendo: “vai à rua chamada direita, na casa de Judá, procura por Saulo, pois ele está orando” e Ananias questionou com Jesus, falando a respeito de Saulo, porém Jesus lhe disse: “vai porque este é para mim um instrumento escolhido para levar o meu nome, perante os gentios e reis, bem como perante os filhos de Israel, pois lhe mostrei quanto lhe importa sofrer pelo Meu Nome”.

A vida é uma contagem regressiva que devemos viver intensamente, pela Obra de Deus, isso enquanto vivermos nesta terra, aproveitando cada minuto para trabalharmos ao Senhor, que espera muito de nós.

Não podemos nos calar, vendo muitos de nossos irmãos padecendo sem fazermos nada por eles. Um conselho final: Seja evangelista, discipulador, um abnegado por essa causa e o Senhor nosso Deus vos dará a recompensa nos céus que está preparando para nós.

Deus nos abençoe, em nome de Jesus!

Continue lendo >>

Um novo homem

Pencil

Estudos - Um novo homem - MundoCristão
*imagem: stelko.com.br

Ezequiel 36:26-29
26 E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.
27 E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.
28 E habitareis na terra que eu dei a vossos pais e vós sereis o meu povo, e eu serei o vosso Deus.
29 E livrar-vos-ei de todas as vossas imundícias; e chamarei o trigo, e o multiplicarei, e não trarei fome sobre vós.

Baseado nessa mensagem, aqui encontramos o primeiro passo para a conquista de uma renovação espiritual: Um novo coração. Esse novo coração será flexível ao ensino cristão, isto é, mais fácil de educar, ao contrário de um “coração de pedra”, pois nele há a presença de um espírito humano que passou e passa pela transformação de seus impulsos e desejos.

É justamente esse, o segundo passo: A vontade humana, ou seja, a vida interior humana, sendo invalidada e governada pela vontade de Deus, que representa uma nova atitude do espírito, capacitando o indivíduo a andar nos estatutos de Deus e guardar seus juízos a fim de ter uma vida transformada para o Senhor Deus, em Nome de Jesus.

João 13:34-38
34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.
35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.
36 ¶ Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, para onde vais? Jesus lhe respondeu: Para onde eu vou não podes agora seguir-me, mas depois me seguirás.
37 Disse-lhe Pedro: Por que não posso seguir-te agora? Por ti darei a minha vida.
38 Respondeu-lhe Jesus: Tu darás a tua vida por mim? Na verdade, na verdade te digo que não cantará o galo enquanto não me tiveres negado três vezes.

Observamos nesse texto, que Jesus retornou o mesmo tema de João 13:13-17, todavia agora expressa a necessidade de um novo mandamento: “que vos ameis uns aos outros”. Essa palavra “novo” é devido o homem cristão passar a apresentar um novo padrão de vida, inspirado no amor de Jesus, o amor zeloso e altruísta que os cristão devem demonstrar uns pelos outros, testemunhando ao mundo que são verdadeiramente discípulos.

Percebemos que nos versos 36-38, Pedro perdeu o ponto principal da declaração de Jesus, pois ficou preocupado com a partida do Mestre, isto é, havia em Pedro um sentimento de não aceitar a vida sem a presença física de Jesus, daí a razão porque o mesmo afirmou que morreria por Jesus.

2 Coríntios 5:17-21
17 Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
18 E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação;
19 Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.
20 De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus.
21 Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.

O apóstolo Paulo, ao escrever esta Segunda Epístola aos Coríntios, usou a seguinte expressão: ”se alguém está em Cristo, nova criatura é”, querendo dizer que o homem foi transformado, passando a ser um novo homem, onde sua vida será contada a partir da data que houve a aceitação de Jesus como seu Salvador, esquecendo-se de tudo que foi feito de ruim em sua vida e passando a olhar para a frente mirando o alvo que é o Senhor Jesus.

Em Atos 17:30, diz que Deus não leva em conta a nossa “ignorância”, porém notifica aos homens que se arrependam.

Continue lendo >>

Lançamento do website de Emerson Toschi! Confira!

Pencil


Confira o lançamento do novo website de Emerson Toshi do Ministério Arca. "Eu gosto deste período da Páscoa, pois além de lembramos da morte de Cristo, nosso Senhor que foi levado como cordeiro mudo ao matadouro (At 8:32), mesmo sem merecer, morreu na cruz para que nós, pecadores, merecedores da morte, pudéssemos NEle, viver a vida eterna, nós novamente estamos lançando algo neste período, o nosso novo website. Aleluia, como Deus é bom!

Abril é um mês que nos lembramos de coisas preciosas que Deus fez em nossas vidas, foi em Abril de 1988 que fui batizado nas águas e neste mesmo mês em um outro período de páscoa, fui batizado no Espírito Santo. Em Abril de 2005, lançei meu primeiro Cd, o Transplantado, um tempo muito gostoso que o Senhor nos presenteou, mas que também foi um período que batalhávamos e clamava-mos muito em oração, porque meu pai, o Pr. José Toschi, estava já algum tempo com câncer, mas algumas semanas depois, foi curado milagrosamente daquele mal e até hoje louvamos e agradecemos ao Senhor por este milagre e por sua misericórdia a cada dia em nosso favor.

Oh! como precisamos ser mais gratos a Deus, como precisamos amar mais o Senhor e agradece-lo pela salvação que conquistamos em Jesus!

A capa do Cd Transplantado é uma bolsa de sangue, uma analogia da cruz, do nosso Senhor. Meu amigo Marcus Castro que fez este trabalho de forma brilhante, também passava por dias de dor e tristeza, onde seu filho precisava passar urgentemente por um transplante de medula óssea. Os dias passaram, o Marcus e sua família também puderam agradecer ao Senhor por tudo que Deus fez na vida de seu filho, o milagre de Jesus, sua docê presença, também visitaram o David Lucca, seu filho!

Oh! Deus, como somos gratos ao Senhor! Como te amamos! obrigado Jesus!

Este novo site, está recheado de novidades, onde queremos manter um relacionamento constante com você, queremos que participe conosco e nos ajude mante-lo com novidades e atualizações. Oramos para que este novo projeto seja benção em sua vida, e que você também semeie em nosso ministério, orando e acompanhando."

SITE: http://www.emersontoschi.com ou http://www.ministerioarca.com.br

por Emerson Toschi - Ministério Arca

Continue lendo >>

O Homem Natural e o Homem Espiritual

Pencil

Estudo - O Homem Natural e o Homem Espiritual - MundoCristão

“O ensino da palavra de Deus, guardado pelo homem, é uma poderosa arma para sua autodefesa contra as trevas”, isto é, a Palavra da Verdade, precisa conquistá-lo, ou seja, encontrar espaço e manter-se sempre ativa no coração e na mente humana, através dos ensinamentos que conduzirão o seu caráter, pelo Espírito Santo, guardando e retendo somente o que agrada a Deus. A evidência maior dessa conquista está no seu comportamento e conduta diária em todos os seguimentos e movimentos da sociedade. Daí, a importância da educação cristã para conduzi-lo à semelhança do próprio Cristo.

Partindo dessa consideração, podemos observar que segundo os ensinamentos das Escrituras Sagradas, há duas classes de pessoas: O Homem Natural e o Homem Espiritual.

1. O Homem Natural (do grego “psuchikos”, que quer dizer no português: pessoa irregenerada, governada por seus próprios instintos naturais – II Pedro 2:12)

1.1. Algumas características do Homem Natural:
- Não tem o Espírito Santo (Romanos 8:9);
- Está sob o domínio de Satanás (Atos 26:18);
- É escravo da carne com suas paixões (Efésios 2:3);
- Pertence ao mundo e pratica o “mundanismo” estando em harmonia com ele (Tiago 4:4);
- Rejeita as coisas do Espírito e depende do raciocínio ou emoção humana (I Coríntios 2:14).

2. O Homem Espititual (do grego “pneumatikos”, que quer dizer no português: pessoa regenerada, que tem mentalidade espiritual – II Coríntios 2:15 / 3:1)

2.1. Algumas características do Homem Espiritual:
- Tem o Espírito Santo como Guia e conhece os pensamentos de Deus (I Coríntios 2:11-13);
- Vive pelo Espírito de Deus e crê em Jesus Cristo, esforçando-se para seguir a orientação do Espírito que nela habita (Romanos 8:4-17);
- Resiste aos desejos sensuais e tem domínio do pecado (Romanos 8:13,14).

Como então, tornar-se um Homem Espiritual? A resposta está na aceitação pela fé da Salvação em Cristo, onde o Espírito Santo confere uma nova natureza mediante a concessão da vida restaurada e renovada (Romanos 12:2), tornando-a nova criatura (João 3:3,5,7) e concedendo-lhe a justiça de Deus mediante a fé em Cristo (Filipensses 3:9).

Embora o servo nascido de novo receba a nova vida do Espírito, ele tem residente em si, a natureza pecaminosa, com suas perversas inclinações (Gálatas 5:16-21). Essa natureza precisa ser mortificada e vencida pelo poder e pela graça do Espírito Santo (Romanos 8:13).

Para tal, é de suma importância conhecer à Luz da Palavra de Deus e de seus ensinamentos, os segredos de uma vida cristã preservada até a vinda do Senhor, como pro exemplo:
- Negando-se a si mesmo diariamente (Mateus 16:24);
- Deixando todo o impedimento ou pecado (Hebreus 12:1);
- Resistindo todas as inclinações pecaminosas, mortificando-as e crucificando-as (Romanos 13:14 / Gálatas 5:16-18);
- Sendo submisso à obra santificadora do Espírito Santo em sua vida, experimentando a libertação do poder da sua natureza pecaminosa e vivendo como um servo espiritual (Romanos 6:13 / Gálatas 5:16).

Infelizmente tem surgido com muita evidência, uma terceira classe de pessoa: O Homem Cristão Carnal ou O Crente Carnal.

Esse surgimento, aos poucos tem encontrado espaço e se alastrado, em decorrência do homem que “nasceu de novo” não se esforçar para vencer plenamente a sua natureza pecaminosa. Isso já acontecia na igreja de Corinto, onde o apóstolo Paulo mostra que alguns dos coríntios viviam como “carnais”, isto é, ao invés de resistirem com firmeza as inclinações da sua natureza pecaminosa, entregavam-se a algumas delas, agindo como recém-convertidos, sem divisar o pleno alcance da Salvação em Cristo (como: invejas, contendas, imoralidade sexual dentro da igreja, falta de submissão aos ministros do Senhor, moviam ação judicial irmãos contra irmãos, etc).

Alguns dos coríntios já estavam mortos espiritualmente, por viverem em pecados que levam a isso (I Coríntios 5:5 / II Coríntios 12:21 / 13:5). Tudo isso, por não terem levado a sério a educação cristã que receberam como poderosa arma para o homem.

Portanto, há uma necessidade muito intensa e urgente do homem tomar uma resolução de purificar-se a cada dia, de tudo o quanto desagrada a Deus, aperfeiçoando a sua santificação no temor do Senhor.

Continue lendo >>

Filho de peixe peixinho é! Filho de evangélico é evangélico?

Pencil

Filho de peixe - MundoCristão

Amados, a palavra de Deus diz claramente em Provérbios 22:6 "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele." Devemos evangelizar nossas crianças, mostrar à elas o Caminho que devem seguir. E esse caminho é o Senhor Jesus.

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6

Um grande erro de pais cristão, é pensar que o fato de levar os filhos para igreja ou obrigá-las a ir, já é o bastante a fazer em relação à educação cristã que toda criança, jovem e adolescente precisa ter.

O que muito se vê nos dias de hoje é filhos de cristãos evangélicos e religiosos, desviados do caminho de Deus. Isso vem acontecendo com frequência porque dificilmente os pais separam um pouco de seu tempo para falar do amor de Deus para seus filhos. E nosso adversário não descansa, ele coloca má influência na escola, no trabalho, entre os colegas e em diversos pontos da vida da criança e do jovem.

"Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel." 1 Timóteo 5:8

Queridos irmãos, entendam que de nada adianta vocês obrigarem seus filhos a irem para igreja, usar apenas as roupas que vocês desejam ou agir apenas como vocês querem. Pois ao fazer esse tipo de coisa, vocês estarão contribuindo para tornar seus filhos(as) em adolescentes rebeldes. E pode ter certeza que na sua frente eles serão uma coisa, mas por trás de vocês eles serão outra.

É necessário os pais viverem o que pregam!

Contudo, o correto a fazer é desde a infância até a fase "pré-adulta", vocês pais, construírem e manterem um diálogo sincero, simples e objetivo com seus filhos. Acabar com essa vergonha que os pais têm de falar certos assuntos com os filhos. E para isso, é necessário seu filho(a) ter um alto nível de confiança em você. O que nos dias de hoje, é muito difícil de conseguir. Pois as atitudes dos filhos são um reflexo das atitudes dos pais. Tudo o que os pais fazem, tanto de bem, como de mau, serve de exemplo para eles. Então, não adianta o pai ou a mãe dizer ao filho(a) para não fazer algo, se o filho sabe que um deles faz.

Conversar e explicar na palavra de Deus, o porquê de cada questão é o correto a fazer. Você deve explicar detalhadamente porque ele não deve agir de certa forma, pois vai de encontro com a vontade de Deus. Procure passar o seu conhecimento bíblico e dar bons exemplos e verás que seu filho(a) será um(a) grande servo(a) de Deus.

Torne o seu filho um discípulo seu! Deus abençoe você e sua família.

Continue lendo >>